Virada Cultural 2019: Os destaques da programação fora do circuito dos shows

0
41

DircinhaSW via Getty ImagesNoite nos museus: O Masp é um dos museus que ficará aberto durante a Vida Cultural em 2019.

Quando se fala de Virada Cultural, a primeira coisa que vem à mente são os shows musicais, mas o evento oferece diversas outras atrações para quem não está a fim de encarar grandes multidões se espremendo em palcos no Centro e outros cantos de São Paulo.

Teatro, cinema, dança, exposições… Veja aqui os destaques da programação da Virada Cultural 2019 longe dos shows:

Cinema

DivulgaçãoProgramação de cinema exibe diversos tipos de filmes para todos os gostos.

Entre os destaques da programação de cinema, “clássicos” estilo Sessão da Tarde, filmes de monstros japoneses, sessão de terror à meia-noite, documentários musicais e uma retrospectiva do diretor americano Quentin Tarantino.

Das 21h de sábado (18) às 4h do domingo (19), o Sesc Avenida Paulista exibe filmes como Quero ser Grande, Curtindo a Vida Adoidado, Um Príncipe em Nova York e Mudança de Hábito. As sessões contam com sistema de som individual, com cada espectador recebendo um fone de ouvido.

Já à meia-noite do domingo (19) a sala de cinema do Instituto Moreira Sales, na Paulista, recebe a versão original de Cemitério Maldito. Adaptação do livro de Stephen King de 1989, foi dirigido por Mary Lambert e conta com a participação do próprio King como um dos roteiristas.

Ainda na Avenida Paulista, mais precisamente no vão do Masp, o quem gosta de cinema nacional não pode perder a exibição de clássicos e cults brasileiros como A Hora da Estrela, A Hora e Vez De Augusto Matraga, O Beijo no Asfalto e duas sessões com trilha ao vivo, dos filmes São Paulo S/A (com trilha da banda Bodes & Elefantes) e A Margem (com trilha de Kiko Dinucci e Cadu Tenório). O programa começa às 20h30 do sábado (18) e vai até às 5h do domingo (19).

Colado na Estação Vergueiro do Metrô, o Centro Cultural São Paulo (CCSP) traz duas mostras bem interessantes. A primeira delas é a Virada Tarantino, que exibe – das 15h do sábado (18) às 19h do domingo (19): Pulp Fiction – Tempo de Violência, À Prova de Morte, Jackie Brown, Kill Bill Vol. 1 e 2, Bastardos Inglórios, Django Livre e Os Oito Odiados.

Enquanto isso, a Virada Phenomena – Deuses e Monstros do Japão exibe mais de 20 horas de filmes japoneses e uma coreografia, Corporis, criada especialmente para o evento pela Companhia de Dança Projeto Kiwa. Ela será apresentada na abertura do evento. Na tela, os destaques são a antologia Memories, dirigida por Katsuhiro Ôtomo (Akira), o musical de rap japonês Tokyo Tribes e o raro Daimajin, um filme de monstro da década de 1960.

Indo para o Centro, no Cine Olido, ao lado da Galeria do Rock, a programação serve como um esquenta para a próxima edição do In-Edit Brasil, festival de documentários musicais que acontece na cidade desde 2009. Entre os filmes que serão exibidos das 20h de sábado (18) às 19h de domingo (19) títulos que retratam músicos como Frank Zappa (Eat that question – Frank Zappa in his own Words), Nick Cave (One More Time with Feeling), James Brown (Mr. Dynamite – The rise of James Brown), Grace Jones (Grace Jones: Bloodlight and Bami), entre outros.

Teatro 

Guga Melgar/DivulgaçãoAndréa Beltrão na peça Antígona.

Alardeada como o grande destaque da programação teatral da Virada, a peça Antígona, estrelada por Andréa Beltrão – vencedora do prêmio de Melhor Atriz da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) em 2018 – ganha duas sessões no Theatro Municipal. Uma no sábado (18) e outra no domingo (19). Ambas às 18h. Com direção de Amir Haddad, a tragédia grega escrita por Sófocles conta a luta travada da jovem princesa Antígona com Creonte, rei de Tebas, para enterrar seu irmão Poliníces, tido como traidor pelo rei.

A remontagem de Roda Vida, obra de Chico Buarque, ganha duas sessões exclusivas para a Virada, na Mostra de Teatros Independentes: no sábado (18) às 20h e no domingo (19) às 19h. Com direção de Zé Celso, a montagem narra a ascensão e a queda do cantor e compositor Benedito Silva. A trilha é recheada de sucessos de Chico, que já faziam parte da montagem original, como a canção título Roda Viva e canções mais recentes dele, acrescentadas na nova versão, como Caravanas e Cordão.

Para comemorar seus 40 anos, o tradicional Grupo Tapa encena, no Teatro Aliança Francesa, o clássico do dramaturgo russo Anton Tchekhov (1860-1904) Jardim das Cerejeiras. Com sessões às 20h30 no sábado (18) e 19h no domingo (19h). A comédia conta a história de uma família de aristocratas em decadência que resiste em vender o seu jardim de cerejeiras a um homem de negócios que quer transformá-lo em um balneário, mesmo ele estando improdutivo há anos.

Monólogo que lhe rendeu o Prêmio Shell-RJ de Melhor Atriz em 2007, Clarice Niskier apresenta, no Teatro Eva Herz, sua adaptação teatral do livro A Alma Imoral, de Nilton Bonder. O espetáculo – com sessões no sábado (18) às 21h e no domingo (19), às 19h – traz Niskier falando a respeito do livro e divide seus questionamentos com a plateia.

Dança e exposições                                          

Do clássico ao funk, entre os espetáculos de dança, destaque para a apresentação da bailarina Morena Nascimento, acompanhada do músico Benjamin Taubkin, no Patteo do Collegio, ao meio dia de domingo (19), além de uma Batalha do Passinho das 18h do sábado (18) às 1h do domingo (19) no palco da Rua 15 de Novembro, e o palco aéreo de circo da Cia.K, no domingo (19), às 4h na Praça Pedro Lessa.

Espaços como Masp, IMS, Itaú Cultural, Centro Cultural FIESP, Casa das Rosas, Pinacoteca, Museu de Arte Sacra, Museu da Imigração, Museu da Casa Brasileira, Museu da Imagem e do Som (MIS-SP) e CCSP estarão aberto para visitação de todas as suas exposições atualmente em cartaz, além de receber performances, oficinas e saraus.

Informações completas sobre a programação estão disponíveis no site da Virada Cultural.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui