10 álbuns de figurinhas do passado que são inesquecíveis

0
4

EThamPhoto via Getty ImagesColar figurinhas: um passatempo que toda criança adora e adorava.

Álbuns de figurinhas são um barato. Em anos de Copa do Mundo então… A febre toma conta de crianças e adultos de todo o País. e esse é o caso de 2019.

Sim, 2019, não 2018, quando aconteceu o Mundial de Futebol masculino, na Rússia. Neste ano acontece a Copa do Mundo de futebol feminino, na França, e a editora Panini já anunciou um álbum específico para o evento.

O anúncio nos fez relembrar álbuns que marcaram a infância de muita gente e se tornaram ícones pop de décadas passadas.

Você se lembra da turma da Moranguinho? Dos Ursinhos Carinhosos? E dos monstros do Calafrio e os nojentos personagens da Gang do Lixo? Isso sem falar nos álbuns de figurinhas dos chicletes Ping Pong e Ploc.

Faça uma viagem no tempo com a gente por 10 álbuns de figurinhas inesquecíveis:

Amar é…

Sim, houve um dia em que um desenho de um casal de crianças peladas inspirava as pessoas. Sucesso absoluto na década de 1980, o álbum Amar É… era uma febre. Crianças e adultos colecionavam como loucos as figurinhas de uma tirinha de jornal criada pela neozelandesa Kim Grove em 1967. Mesmo quem não lembra dos anos 80 ou nem viveu nessa década conhece essa casalzinho e suas frases românticas, pois o álbum foi reeditado várias vezes durante os últimos anos.

Fofura

Predecessor dos vídeos com bichinhos fofos que vemos aos montes nas redes sociais atualmente, este álbum apelava para a fofura absoluta. Era a versão dos anos 1980 do unicórnio vomitando arco-íris. As figurinhas traziam desenhos de bichinhos fofinhos, crianças e letras para montar palavras em formatos com detalhes brilhantes, metalizadas, douradas… Valia de tudo para conquistar o coração dos colecionadores.

Moranguinho

Enquanto o álbum Fofura tinha um apelo visual irresistível, a popular linha de bonecas Moranguinho apelava para outro sentido: o olfato. Além de poder ver as fofíssimas personagens da turma da Moranguinho, se você raspasse as figurinhas, elas exalavam cheiros artificiais de morango, uva, laranja, pêssego… Cada um relacionado a uma das bonecas.

Ursinhos Carinhosos

Com as figurinhas com cheiro da turma da Moranguinho, muitos achavam que não havia mais nada para inventar no segmento, mas aí chegaram os Ursinhos Carinhosos. Eles estavam por toda a parte! Bonecos, desenhos, histórias em quadrinhos… Os ursinhos foram criados pela empresa americana American Greetings em 1981, como personagens de cartões de aniversário. O álbum trazia figurinhas ainda mais criativas que seus concorrentes, como as fofinhas, com revestimento de espuma, que você podia literalmente apertar.

O Incrível Hulk e Homem Aranha 

Divulgação/MontagemHulk e Homem-Aranha também ganharam álbuns especiais nos anos 80.

Muito antes de alcançar as telas de cinema,  dois personagens da Marvel ganharam suas primeiras versões live-action na televisão, no final da década de 1970. Vendo hoje, as séries do Hulk e do Homem-Aranha podem parecer toscas, mas na época, crianças e adultos piravam com as aventuras dessa dupla de heróis na telinha. E é claro que eles ganham álbuns de figurinhas. O do monstrão verde saiu por aqui primeiro, em 1980. Já o do Cabeça de Teia foi lançado um ano depois. Ambos intercalavam figurinhas de cenas das séries com desenhos dos personagens.

Espanha 82

Você sabia que um dos grandes sucessos entre álbuns relacionados a uma Copa do Mundo era feito de figurinhas que vinham em um chiclete? Para concorrer com as populares figurinhas de “tatuagens” aplicadas com água do concorrente Ploc, o chiclete Ping Pong apostou suas fichas na Copa de 1982, que aconteceu na Espanha. Sim, aquela da derrota mais dolorida do Brasil em Mundiais antes do 7 a 1. A estratégia se mostrou acertada, e o álbum virou tendência.

Ploc Monsters

Já que o concorrente Ping Pong havia inventado os álbuns de figurinhas de chiclete, o Ploc não demorou para fazer o mesmo, mas usando como tema as suas já muito populares figurinhas de “tatuagem”. E a linha mais popular delas foi a Ploc Monsters. Sério, na década de 1980 era muito difícil você não encontrar uma criança que não tivesse um monte de figurinhas Ploc Monsters para trocar no recreio.

Calafrio

[embedded content]

Os filmes de terror slasher – como Sexta-Feira 13 e A Hora do Pesadelo – se transformaram em um fenômeno pop nos anos 1980, fazendo que o tema gerasse uma série de produtos dos mais variados. Um deles foi, claro, álbum de figurinhas. E entre estes, um dos mais populares foi o Calafrio. Lançado em 1989, o álbum trazia uma série de figuras bem mais assustadoras (e debochadas) que as do Ploc Monsters.

Gang do Lixo

Mas ninguém levou o deboche e a escatologia ao nível do álbum da Gang do Lixo, o terror das mães na passagem da década de 1980 para 1990. Os nojentos personagens dessa turma foram criados como uma paródia às fofinhas bonecas Cabbage Patch Kids pelo cartunista americano Tom Bunk, famoso por seu trabalho na revista Mad. De fofos, os personagens da Gang do Lixo não tinham absolutamente nada. E abusavam do humor escatológico e do sarcasmo, com muita meleca e crítica à sociedade. Foi o mais perto que um álbum de figurinhas chegou do movimento punk.

Campeonato Mundial de Futebol 90

O primeiro álbum de figurinhas relacionado à Copa do Mundo no Brasil foi o do Mundial do México, em 1970, mas a popularidade desse tipo de álbum alcançou um novo patamar a partir da chatíssima (e traumática para nós brasileiros) Copa de 1990, na Itália. O formato adotado na época segue o mesmo até hoje e foi uma verdadeira febre naquele primeiro ano da década de 1990. Quem não lembra das figurinhas da seleção que foi a grande sensação daquele mundial — a de Camarões? E da Colômbia, de Valderrama e companhia?

Você acha que ficou faltando algum álbum? Deixe sua sugestão nos comentários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui