Motorola Moto G7 Play: review/análise [vídeo]

0
55

O Moto G7 Plus é o modelo mais completo lançado pela Motorola em 2019 na sua família mais popular aqui no Brasil – nós já fizemos um review completo dele aqui no TecMundo, que você pode ver clicando aqui. Por sua vez, o Moto G7 Play está na ponta oposta e é o mais simples de todos. Por causa disso, ele também é o mais acessível.

Mas será que essa simplicidade toda não acaba prejudicando o aparelho e causando mais problemas do que deveria? Vamos avaliar todos os detalhes do dispositivo para vocês poderem decidir agora no nosso review. Confira:

Visual de acordo com a categoria

No visual, o G7 Play traz novidades, mas nada tão impressionante quanto os irmãos mais caros. O corpo é de plástico rígido fosco, o que é bom pela resistência e leveza, mas passa uma sensação de menor qualidade. A tela Max Vision esticada também está aqui, mas o notch em forma de barra é bem grande, ocupando mais da metade da parte superior e deixando pouco espaço para notificações e indicadores. Além disso, bordas laterais e inferior são bastante perceptíveis, por mais que não nos padrões de aparelhos antigos.

A lateral continua abrigando botões de volume e energia, enquanto o conector USB-C está na parte de baixo e a entrada para fones fica em cima. Na traseira, o leitor de digitais ocupa uma boa posição no logo da marca, fácil de alcançar com o dedo.

Moto G7 Play review análise

Resumidamente, podemos afirmar que o estilo do aparelho não é espetacular, mas também não pode ser considerado antiquado ou impróprio para a faixa de preço. Por causa das dimensões compactas, o uso dele com uma mão não será fácil apenas se você realmente tiver mãos muito pequenas. Só não recomendamos andar com algum outro objeto grande no mesmo bolso que o celular. O botão de energia é tão sensível que isso acaba fazendo o aparelho reiniciar automaticamente com bastante frequência, o que irrita um pouco.

Tela okay

O G7 Play vem com um painel IPS LCD de 5,7 polegadas e resolução HD+. Isso basicamente quer dizer que ele consegue reproduzir detalhes o suficiente para não incomodar no consumo mais casual, mas também não dá para dizer que a qualidade das imagens é impecável – ou seja, ele quebra um galho.

Pelo menos no que diz respeito às cores o aparelho apresenta resultados realmente bons, ainda mais se você customizar essa configuração de acordo com as suas preferências. No brilho ele tem uma intensidade muito parecida com a do Plus, o que quer dizer que é forte o suficiente para você usar o aparelho em ambientes externos, mas poderia ser um pouquinho melhor para dias de sol realmente forte.

Moto G7 Play review análise

Câmeras boas o suficiente

Nas câmeras, o G7 Play também é o mais simples da família com relação à quantidade e qualidade de seus sensores e lentes. Na traseira encontramos uma câmera de 13 MP com abertura de f/2.0, enquanto na frente temos 8 MP e abertura de f/2.2. Nada de sensores duplos por aqui.

Em lugares bem iluminados, o resultado é bastante agradável tanto nas fotos comuns quanto nas selfies, desde que você tome cuidado de não ficar diretamente contra luzes fortes. As imagens são mais que boas o suficiente para compartilhar nas redes sociais ou guardar como lembrança.

No escuro, os resultados ficam bem menos agradáveis, com ruídos muito perceptíveis mesmo à meia-luz, mas ao menos nesse caso você pode usar o flash frontal para conseguir resultados melhores – G7 Play é o único da família que conta com um LED específico para isso.

Com esse conjunto ele também consegue gravar vídeos em 4K a 30 fps com a câmera traseira e em Full HD com a frontal, mas um sistema melhor de estabilização acaba fazendo falta. O G7 Play também faz gravações em câmera lenta, timelapse e tem um modo retrato com desfoque de fundo, mas com resultados nada impressionantes.

Desempenho para o cotidiano

No hardware, a Motorola decidiu que o G7 Play teria o mesmo processador que o G7 e o Power, o Snapdragon 632. Isso seria ótimo se não fosse o fato de ele vir com apenas com 2 GB de RAM, o que atrapalha um pouco o desempenho.

Isso não quer dizer que o dispositivo não vai conseguir rodar a maioria dos aplicativos, mas precisa ter um pouco de paciência com a lentidão ao abrir softwares e com as quedas de desempenho em caso de apps pesados. O aparelho até chegou a travar na primeira vez que tentamos usar o recurso de realidade aumentada com a câmera em Pokémon GO, por exemplo.

Moto G7 Play review análise

Considerando esse fato e a memória interna de 32 GB, que pode ser expandida via micro SD, dá para dizer que o G7 Plus é um aparelho indicado para quem não espera muito do celular e quer um dispositivo para o dia a dia. Até rola um jogo ou outro, mas para situações mais pesadas ele está longe do ideal. Pelo menos a bandeja tem espaços separados para dois SIM cards e para o cartão micro SD.

Benchmarks

Para ver como o Moto G7 Play se sai em comparação com seus principais concorrentes, o aparelho foi submetido a quatro aplicativos de benchmark. Os testes utilizados foram oAnTuTu Benchmark 7.0, PCMark e Geekbench 4.

AnTuTu Moto G7 Play benchmark

O app AnTuTu 7.0 permite testar interface, CPU, GPU e memória RAM dos dispositivos. Os resultados são fornecidos individualmente e somados para gerar uma pontuação total. E aqui também vale a máxima para os pontos: quanto mais, melhor.

PCMark Moto G7 Play benchmark

O PCMark mensura o desempenho do celular durante tarefas comuns de produtividade, como navegação na web, edição de vídeos e fotos e trabalho com documentos e dados em geral. Assim como nos outros casos, totais de pontuação maiores significam resultados melhores.

Geekbench Moto G7 Play

O Geekbench 4 é um teste que avalia e pontua a capacidade tanto de núcleos individuais quanto do conjunto completo da CPU, além de medir também a capacidade computacional da GPU dos dispositivos. Novamente, quanto maior a pontuação, melhor o resultado.

Software atualizado

O G7 Play sai da caixa rodando o Android 9.0 Pie com as experiências típicas da Motorola, incluindo gestos de atalho do Moto Ações para ativar câmera e lanterna, atalhos interativos da Moto Tela e outros recursos.

O aparelho inclui rádio FM, mas a função de TV digital continua sendo exclusividade do Power e ele também não tem o mesmo recurso de leitura de mensagens e chamadas do Moto Voz que gente viu no G7 Plus. Fora isso, podemos dizer que a experiência de utilização do software do Play é boa e fluida, salvo os engasgos com apps muito pesados, que mencionamos mais acima.

Moto G7 Play review análise

Energia para um dia com folga

As reservas de bateria do Moto G7 Play têm os mesmos 3.000 mAh que vimos no Plus, mas, com as especificações mais modestas, a duração é maior. Com utilização comum, incluindo redes sociais, mensageiros e fotos a vontade, as reservas energéticas duram um dia inteiro tranquilamente. Você pode até incluir uma ou duas horas em jogos e ainda assim não deve precisar de recarga antes do anoitecer. Os mais econômicos talvez não alcancem dois dias inteiros longe da tomada, mas dá para chegar perto.

Por outro lado, o carregador TurboPower não está incluso com o G7 Play. Na caixa, a Motorola optou por colocar um carregador rápido mais fraco que o dos irmãos, mas que ainda tem um resultado bom. Ele leva a bateria de zero a 100% em uma hora e meia.

Moto G7 Play review análise

Extras

Indo para o áudio, o G7 Play tem apenas um alto-falante, mas pelo menos ele é voltado para a frente, o que ajuda a impedir abafamentos de som com as mãos. O áudio não é particularmente poderoso e nem tem qualidade impressionante, mas quebra o galho em ambientes não muito barulhentos. O pacote inclui bons fones de ouvido intrauriculares para a faixa de preço.

Já mencionamos que o sensor de digitais tem uma posição boa, mas vale também dizer que ele não teve problemas para reconhecer os dedos cadastrados.

Moto G7 Play review análise

Vale a pena?

No site da Motorola, o Moto G7 Play está saindo por R$ 999 a prazo, mas pagando à vista em varejistas online é possível encontrar o aparelho por R$ 849. Considerando as opções disponíveis na faixa de preço, é possível encontrar modelos com desempenho ligeiramente superior, especialmente para quem estiver disposto a correr os riscos e aguentar a espera por um importado.

Com o tempo, a tendência é que os preços caiam e promoções se tornem mais frequentes, o que pode tornar o G7 Play mais atraente para quem quiser pagar pouco em um aparelho com software atualizado e capaz de aguentar um uso casual. Já para quem procura um desempenho um pouco mais forte, é melhor considerar opções de outras marcas ou de anos anteriores.

Moto G7 Play review análise

—–

Motorola Moto G7 Play
  • Tamanho de Tela: 5,7 polegadas
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento Interno: 32 GB
  • Chipset: Qualcomm Snapdragon 632 (SDM632)
  • Sistema Operacional: Android 9.0 Pie
  • Capacidade de Bateria: 3000 mAh
  • Câmera Frontal: 8 MP (f/2.2)
  • Câmera Traseira: 13 MP (f/2.0)
  • Vídeo: 1080p@30fps

E aí, o que que você achou do Moto G7 Play? Mande sua opinião e qualquer dúvida que tiver sobrado nos comentários, que eu responderei assim que puder. Também é possível falar comigo diretamente pelo perfil @Leobrjor no Instagram ou no Twitter. Caso tenha ficado interessado pelo aparelho, nos links abaixo se encontram os melhores preços para ele. Clique aqui para instalar a extensão do TecMundo para o Google Chrome e aqui para acessar a página do TecMundo Descontos, onde pode aproveitar várias promoções legais.

Opção de compra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui