10 serviços de streaming gringos que torcemos para chegarem ao Brasil

0
35

Embora a Netflix seja a grande referência quando falamos de streaming de vídeo, sabemos que a competição chegou em peso e em breve teremos outras gigantes, como a Disney e a Apple, juntando-se a HBO, Amazon e outras que chegaram no embalo da primeira — incluindo o YouTube Premium.

Agora, vemos uma explosão de ofertas para nichos e nos Estados Unidos algumas delas têm encontrado sua audiência em gêneros e públicos específicos. Muitas dessas plataformas são bem interessantes e seria muito bom que chegassem por aqui — não somente para tornar o mercado mais competitivo quanto para trazer um catálogo ainda maior e mais diverso.

Selecionamos aqui 10 serviços que gostaríamos de ver por aqui em breve.

1. Shudder

shudderFonte: Shudder

Esse aqui é para os amantes de horror, thriller e ficção sobrenatural, com várias pérolas, como a coleção “Black Horror Stars in the 70s: Bloody Good” e programas com deliciosas mentes perturbadas, a exemplo de Eli Roth.

Uma das grandes vantagens é poder assistir muitos filmes que foram distribuídos originalmente em um qualidade abaixo da média e que agora foram otimizados com a tecnologia para oferecer uma experiência melhor, tanto de vídeo quanto de áudio.

2. TCM

tcmFonte: TCM

O Turner Classic Movies já é canal conhecido dos assinantes de TV a cabo e que recentemente levou todo o seu catálogo para o streaming. Tudo tem uma ótima qualidade de resolução e a seção de coleções é bem interessante: para acompanhar o Oscar, a plataforma ofereceu “31 Dias de Oscar”, com filmes premiados a cada dia do mês.

Um recurso interessante é o “Watch Live”, que permite a você acompanhar o que passa no canal de operadoras — para quem ainda aprecia encontrar uma boa surpresa ou está de saco cheio de dormir antes mesmo de escolher qual filme vai ver.

3. DC Universe

DC UniverseFonte: DC Universe

A Warner decidiu capitalizar todo o vasto conteúdo que a DC Comics, a DC Entertainment e a WarnerMedia possuem em uma só plataforma. Tem desde os clássicos filmes, como “Superman” com Christopher Reeves, até as animações premiadas de “Batman Animated” e rodízio de quadrinhos digitais, além de programas para nerds.

A cereja do bolo são as séries originais “Patrulha do Destino”, “Titãs”, “Young Justice: Outsiders” e “Monstro do Pântano”. Tudo bem que a Netflix deve distribuir parte desse conteúdo por aqui, mas ter um streaming com tudo isso seria uma maravilha para os fãs de super-heróis.

4. Funimation

FunimationFonte: Funimation

A empresa foi fundada em 1994 e ganhou bastante popularidade ao adquirir os direitos de distribuição de Dragon Ball. Ao longo do tempo, a companhia foi negociando outros conteúdos relacionados a anime e cultura nipônica, como a Geneon e a Sojitz.

Com o tempo, a companhia foi apostando em vários modelos de negócios e diferentes parceiros de distribuição em diferentes países. A onda do streaming chegou em um bom momento para ela, que agora tem um meio poderosos para colocar todo o seu catálogo à disposição. Como sabemos, os desenhos japoneses possuem uma grande abrangência — assim, encontrar alguma série para chamar de sua fica fácil.

5. Hulu

huluFonte: Hulu

Como a empresa tem participação da Disney, da 21th Century Fox, da Comcast/NBC Universal e da AT&T/WarnerMedia, ela tem a vantagem de transitar entre os vários conteúdos de concorrentes. Assim, ela une programas, filmes e animação para um público bem diverso.

Muitas das atrações que não caberiam na programação normal — a exemplo de filmes com classificação etária para maiores de 18 anos na empresa do Mickey — ganham um cantinho quentinho no Hulu.  Um dos grandes atrativos são os programas ao vivo, como transmissão de esportes, que ainda conseguem prender a atenção de adolescentes — atualmente consumindo mais sob demanda.

6. CBS All Access

cbsFonte: CBS

A grande vantagem da CBS é ter um portfólio que vem sendo produzido desde 1927 na TV norte-americana. A plataforma conta com nada menos do que 10 mil episódios de várias séries e conta com algumas atrações originais bem interessantes, a exemplo da nova encarnação de “The Twilight Zone” e “Star Trek: Discovery” (que aqui é distribuído pela Netflix).

A plataforma também tem a vantagem de transmissão de conteúdo 24 horas, incluindo os eventos esportivos.

7. Freedive (IMDb)

freediveFonte: Freedive

A Amazon já possui seu próprio serviço de streaming e recentemente lançou uma plataforma gratuita para unir outra empresa sua, o arquivo cinéfilo Internet Movie Database — ou IMDb para os íntimos. O catálogo não é dos mais parrudos e a interface ainda é bem simplezinha, mas possui atrações populares, a exemplo de “Heroes”, “The Bachelor”, “Desaparecidos”, “O Último Samurai”, “Amnésia”, “Tempo de Despertar”, entre outras.

“Mas por que oferecer esses filmes de graça?” Bem, é uma forma da Amazon “desovar” conteúdo em um canal paralelo e, claro, serve como mimo para quem comprar os dispositivos Amazon Fire.

8. Spectrum

spectrumFonte: Spectrum

Essa é uma alternativa interessante para quem ainda não consegue se livrar completamente dos velhos hábitos da TV a cabo. O Spectrum basicamente reúne uma porrada de canais oferecidos pelas operadoras tradicionais e empacota no formato de streaming.

São 63 opções e a maior vantagem é o preço, de US$ 15 por mês — o que é bem abaixo das ofertas tradicionais —, e a possibilidade de ver tudo isso via app em Android ou iOS ou em dongles e smart TVs.

9. BFI Player

bfiFonte: BFI Player

Para quem está de saco cheio de sitcoms ou produções hollywoodianas tradicionais, aqui está uma boa opção, que traz os filmes cult norte-americanos e vários filmes europeus. A plataforma conta com seleções de festivais, como o London LGBTQ+ Film Festival, e coleções como a do Cinema Francês.

Um dos aspectos mais interessantes fica com relação aos preços: é possível alugar filmes mais recentes por US$ 3,30 e assinar o catálogo de cinema clássico por US$ 6,60. Já o arquivo de mais de 1 mil filmes britânicos é na faixa.

10. Criterion Channel

CriterionFonte: Criterion

Criado para os fãs de cinema clássico, cult e alternativo, a partir do catálogo que tinha com a parceria do FilmStruck — para ter uma ideia, quando este encerrou as atividades, nada menos do que nomes como  Paul Thomas Anderson, Guillermo Del Toro, Leonardo DiCaprio, Sofia Coppola, Steven Spielberg e Martin Scorsese fizeram uma petição para que a WarnerMedia o trouxesse de volta.

Ainda não dá para saber a extensão do Criterion e a interface ainda é bem simples, mas não deixa de ser uma boa opção para quem gosta de um pouco mais de cérebro na Sétima Arte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui