Caminhonete com ajuda humanitária do Brasil cruza fronteira com Venezuela, mas não fura bloqueio

0
26

ASSOCIATED PRESSCaminhonete com mantimentos e alimentos saiu de Pacaraima (RR) rumo à Venezuela.

A primeira caminhonete com ajuda humanitária do Brasil cruzou a fronteira da Venezuela. A informação foi dada por volta das 13h deste sábado (23) pelo Twitter do presidente autoproclamado do país, Juan Guaidó, e em vídeo pela embaixadora de Guaidó no Brasil, Maria T Belandria. A confirmação oficial pelo Itamaraty ocorreu por volta das 15h.

O ministro Ernesto Araújo, que está em Pacaraima (RR), anunciou pelo Twitter que o primeiro veículo já está em território venezuelano. O próximo passo é o desembarque dos alimentos e remédios. “Esperamos que essa ajuda chegue efetivamente ao povo venezuelano e que essa seja a primeira gota de um oceano de ajuda”, afirmou o chanceler em vídeo.

A emissora venezuelana RCTV postou vídeo que mostra a chegada dos mantimentos à Venezuela, mas em um trecho anterior ao local onde está montado o bloqueio dos militares de Nicolás Maduro

As imagens reproduzidas pela RCTV mostram a caminhonete escoltada por policiais rodoviários federais. Um dos brasileiros que está filmando adverte: “agora que o bicho vai pegar. A Guarda Venezuela está de prontidão para não deixar passar”.

″É uma grande vitória, Venezuela”, celebrou Guaidó, que está liderando comboio de ajuda humanitária vindo da Colômbia.

Em vídeo, Maria T Belandria diz que a chegada da ajuda humanitária ao solo venezuelano é “o conjunto e o somatório de esforços de Estados Unidos, Brasil e dos venezuelanos”.

Mais cedo, a agência Reuters informou que o veículo estava do lado venezuelano, mas que ainda não havia passado pela alfândega, segundo uma testemunha ouvida.

Galeria de Fotos Crise na Venezuela e tensão na fronteira Veja Fotos

Fronteira com a Colômbia

Neste sábado, a Venezuela teve repressão militar na fronteira com a Colômbia. Os militares lançaram gás lacrimogêneo em dezenas de pessoas que tentavam deixar Ureña, no país, em direção à Colômbia. 

Por sua vez, manifestantes montaram barricadas e apedrejavam os militares. Há dezenas de feridos, de acordo com jornais colombianos.

Mais cedo, os líderes colombiano e venezuelano fizeram um pronunciamento à imprensa em Cúcuta, na fronteira dos 2 países, sobre o transporte da ajuda humanitária da Colômbia à Venezuela. “Impedir que isso [entrega dos mantimentos] aconteça é um atentado contra os direitos humanos. Poderia constituir um crime lesa-humanidade”, alertou o presidente da Colômbia, Iván Duque.

Guaidó reforçou o apelo aos militares que poderão desertar e liberar os veículos com os produtos. “Bem-vindos ao lado certo da História”, disse Guaidó.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui