Engenheiros que atestaram segurança da barragem de Brumadinho são presos

0
89

Foram presos na manhã desta terça-feira (29) engenheiros e funcionários da Vale que atestaram a segurança da barragem 1 da Mina do Feijão, que rompeu na sexta-feira (25), em Brumadinho (MG). Eles foram alvos de uma ação conjunta entre o Ministério Público de Minas Gerais, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal.

Além de 3 funcionários da Vale, foram presos engenheiros terceirizados que prestaram serviço para a empresa e declararam a estabilidade da barragem. Foram 5 mandados de prisão temporária, com prazo de 30 dias, e 7 de busca e apreensão em Minas Gerais e em São Paulo.

Em nota, a Vale informou que colabora com as autoridades. “A Vale permanecerá contribuindo com as investigações para a apuração dos fatos, juntamente com o apoio incondicional às famílias atingidas.”

De acordo com o G1, o Ministério Público e a polícia apuram suspeita de fraude em documentos técnicos que validavam a segurança, feitos por empresas contratadas pela Vale.

Diretoria da Vale

Na segunda-feira, o presidente em exercício, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou que o grupo de crise do governo estuda o afastamento da diretoria da Vale.

“Essa questão da diretoria da Vale está sendo estudada pelo grupo de crise. Vamos aguardar quais são as linhas de ação que eles estão levantando”, disse.

Para ele, o momento é de rescaldo e tentar encontrar os sobreviventes. A segunda fase será de “apurar e punir”.

“Punição tem que doer no bolso, que já está sendo aplicada. E, se houve imperícia ou imprudência ou negligência por parte de alguém dentro da empresa, essa pessoa tem que responder criminalmente. Porque, afinal de contas, quantas vidas foram perdidas nisso aí?”

O rompimento da barragem em Brumadinho deixou 60 mortos e mais de 300 desaparecidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui