Perto dos 70 anos, gêmeos declaram amor à São Silvestre: “Chega a arrepiar”

0
50
Os famosos “gêmeos corredores” capixabas, Deolindo e Amarílio Braga, na retirada dos kits da 94ª Corrida Internacional de São Silvestre 2018, no Palácio de Convenções do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Neste dia 31, dezenas de milhares de corredores estarão presentes na 94° edição da Corrida Internacional de São Silvestre, principal prova de rua do país, e, no meio dessa multidão, dois irmãos, Amarílio e Diolindo Braga, se destacam pelo carisma e pela história que carregam nos seus quase 30 anos de corrida. Vindo de Vitória, no Espírito Santos, os gêmeos de 66 anos vivem a emoção de fazer parte, mais uma vez, da corrida mais tradicional da América Latina

“A São Silvestre é realmente especial, principalmente para a gente que corre há tanto tempo, há dezenas de anos. Além de ser a última prova do ano, é a corrida onde se reúnem competidores do mundo inteiro, atletas de alto nível. Isso é muito gratificante para n[os dois, chega a arrepiar fazer parte da São Silvestre”, afirmou Diolindo em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

Bastante animados e conversando com outros corredores inscritos para a São Silvestre no último dia de entrega dos Kits, que acontece neste domingo, os gêmeos também falaram sobre a emoção de poder praticar esportes por tanto tempo e usufruir de uma boa qualidade de vida junto com a família.

“A paixão pelo esporte vem desde antes, quando jogávamos futebol profissionalmente. Mesmo depois de parar de jogar, nós buscamos continuar fazendo uma atividade física e encontramos o amor pela corrida. Ficamos muito felizes porque a gente consegue correr e cuidar da saúde, principalmente em São Paulo, um lugar especial para muita gente. A São Silvestre simboliza essa união com as pessoas que amam correr”, ressaltou Amarílio Braga.

Acessos

A 94ª Corrida de São Silvestre terá um esquema especial de acesso à largada e chegada, visando assegurar maior facilidade aos atletas oficialmente inscritos e informar ao público que pretende acompanhar a Corrida. No período das 5h às 10h serão permitidos apenas atletas com número de peito, com os seguintes acessos: Alameda Santos, Rua São Carlos do Pinhal, Rua Frei Caneca, Alameda Ministro Rocha Azevedo, Rua Peixoto Gomide, Rua Plínio Figueiredo e Alameda Casa Branca.

A dispersão será a partir da Rua Joaquim Eugênio de Lima até a Alameda Itapeva. Todas as áreas serão restritas a corredores oficialmente inscritos e usuários locais. Não será permitida a presença de acompanhantes ou carrinhos e outros itens que não fazem parte do evento.

O Comitê Organizador pede gentilmente que atletas sem inscrição não compareçam, pois não há como dimensionar os serviços e o consumo excessivo pode gerar a falta de serviços e hidratação para os inscritos. E destaca que essas dinâmicas estão sendo implantadas para melhor atender aos atletas inscritos oficialmente.

A infraestrutura do evento é dimensionada para o número oficial de inscritos, cerca de 30 mil, não contemplando serviços a atletas sem inscrição (“pipocas”). Serão sete postos de água, um a mais que no ano passado, com volume para atender somente aos inscritos. Como consta em regulamento, não haverá serviços extras e hidratação excedente para atletas sem inscrição.

* Especial para a Gazeta Esportiva


Competidora de Barretos destaca emoção de estrear na São Silvestre

Fotos da retirada dos kits da 94ª São Silvestre

Campeã da Maratona de São Paulo exalta São Silvestre: “Algo grandioso”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui