Jair se defende, tem esperança em ficar e até planeja 2019 do Corinthians

0
37

O Corinthians já está acertado com Fábio Carille para 2019. O anúncio oficial depende apenas da rescisão contratual do técnico com o Al Wehda, da Arábia Saudita, o que deve ocorrer nas próximas horas, assim que a diretoria alvinegra depositar a multa de 700 mil dólares, cerca de R$ 2,8 milhões.

De forma até constrangedora, Jair Ventura, oficialmente ainda comandante da equipe corintiana, deu entrevista coletiva nesse domingo, após derrota para o Grêmio em Porto Alegre, e ousou até falar em planejamento para a próxima temporada.

“Eu sigo trabalhando, fazendo o planejamento, tudo normal. Tenho até dezembro de 2019 o contrato. A decisão vai ser da diretoria, mas sigo trabalhando normal”, disse, negando que tenha sido chamado para alguma conversa nesse sentido.

“Quando você tem contrato você só vai ser avisado quando não for seguir. Desde que não tenha essa conversa de que você não segue, você, como funcionário do clube, você segue sua vida normalmente”, completou.

Jair Ventura tem um aproveitamento de apenas 31.5% no Corinthians (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

Jair Ventura tem um aproveitamento de apenas 31,5% dos pontos disputados à frente do Corinthians. Foram nove derrotas, seis empates e só quatro vitórias. O técnico, então, resolveu se defender das críticas durante a entrevista no estádio gremista.

“Você sabe que a vida do treinador é sempre assim. Você olha o percentual, mas a gente não pode pegar só percentual. Temos de analisar as circunstâncias”, disse, antes de iniciar uma análise retrospectiva.

“Quando nós chegamos, a maioria das opiniões dizia ‘você vai encara uma situação como essa?’ Muitas mudanças, várias perdas, jogos decisivos, mas só ficaram dois times na Copa do Brasil. Conseguimos ir para a final, acabamos perdendo e, de repente, dentro de tudo que aconteceu, de repente, não foi tão bom, mas foi o possível. Poderia ser melhor? Poderia, mas poderia ser pior. Fizemos o possível dentro de uma situação que era muito difícil”, comentou, negando qualquer arrependimento.

“Eu faria tudo a mesma coisa. Você receber um convite, independente das circunstâncias, que muito difícil, não tinha como não aceitar. Lógico que a gente poderia ter ido melhor no Campeonato Brasileiro, muitos falaram de rebaixamento, eu fui até incisivo e fui muito cobrado por essa situação. Eu falei que não caia e realente não caiu. A gente sempre estava na zona de descenso, mas, quatro, cinco times acima, por isso eu falava que a gente não a cair, tinham cinco times para ultrapassar o Corinthians”, justificou.

Mais vídeos em videos.gazetaesportiva.com

“Agora no final, nós queríamos a vaga para a Libertadores, mas conseguimos uma classificação na Sul-Americana. Lógico que é pouco para o Corinthians, mas dentro de todas as circunstâncias, nós conseguimos ir para a final da Copa do Brasil, conseguimos ser campeões Paulistas (Carille era o técnico), eu falo nós porque já me sinto parte do processo”, completou.

Sobre a partida contra o Grêmio, Jair Ventura também fez sua avaliação da atuação corintiana no último jogo do ano, que culminou com o revés por 1 a 0.

“Um jogo que teve um primeiro tempo total do Grêmio, a gente teve uma postura bem abaixo. No segundo tempo, a gente consegue, de alguma maneira, mudar isso. Tive um bom papo com eles, não gosto de revelar a nossa intimidade, mas um bom papo e a gente volta com uma postura diferente, fechamos com 65% de posse de bola, o Grêmio passou a ser o Corinthians e o Corinthians passou a ser o Grêmio. Dois tempos distintos, mas o Grêmio foi mais eficiente e conseguiu a vitória. Uma pena que a gente tenha oscilado dessa maneira, de uma forma tão drástica. Não foi a primeira vez, a gente já vinha conversando sobre essa situação, e assim acabamos perdendo o jogo”, afirmou.

Para encerrar, o técnico admitiu o problema do time em fazer gols , mas se mostrou otimista em buscar o título da Copa do Brasil de 2019 com o Corinthians.

“Foi um dificultador do Corinthians o ano inteiro. Quando cheguei era a equipe que menos finalizava no Campeonato, terminamos o jogo com cinco meninos de 21 anos e um da minha idade, como o Danilo. A gente sabe, o Corinthians está trabalhando, a gente vem buscando os nomes, a gente sabe da necessidade de reposição. Lembrando também que em 2008 o Corinthians perde uma final de Copa do Brasil para ganhar no outro ano. Então, a gente pensa em fazer melhor no ano que vem e conseguir o nosso título, como aconteceu há dez anos atrás”, encerrou.

Após a entrevista coletiva de Jair Ventura, o diretor Duílio Monteiro Alves não garantiu a permanência do técnico em 2019.


Veja o gol da vitória do Grêmio contra o Corinthians

Diretoria do Corinthians não banca Jair e despista sobre Carille

Jadson admite necessidade do Corinthians em consertar erros para 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui